• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

 

News Motivacional Nº 566 PDF Imprimir E-mail
         

A raiz da criatividade está na infância...

Uma pesquisa sobre gênios que moldaram o século XX com sua criatividade, apontou que todos partilhavam uma espécie de entusiasmo infantil na abordagem de seu trabalho. Eles tinham alguma coisa de criança, tanto no sentido de fazer novas explorações, quanto no de admirar-se com as coisas que impressionam as crianças.

Einstein perguntava como seria viajar num raio de luz. Muitas crianças fazem essa pergunta, mas poucos adultos. Picasso se perguntava: “O que acontecerá se apanharmos um objeto e o quebrarmos até fragmentá-lo em inúmeras partes diferentes?” Freud fez perguntas rudimentares sobre sonhos.

Todas as crianças nascem criativas. Todas têm o desejo e impulso de explorar, de descobrir coisas, de tentar, de experimentar modos diferentes de manusear e examinar os objetos. Enquanto crescem, as crianças vão construindo universos inteiros de realidade em suas brincadeiras.

A máquina de lavar é entregue numa caixa de papelão grosso. Durante semanas as crianças brincarão com a caixa, abrindo-a, dobrando-lhes as bordas, inventando e reinventando: uma caverna, um navio, uma estação espacial, uma loja, enfim tudo será, menos uma caixa vazia dentro da qual veio uma máquina de lavar. Acho que está na hora de começarmos a aprender um pouquinho com eles. Esse foi o segredo de sucesso de Einstein e pode ser o nosso também... 

Compartilhe no Facebook
  

Vídeo Dica: Liderança

Olímpiada de 1992...

O inglês Derek Redmond tinha treinado para a corrida de 400 metros durante anos. Após a Olimpíada de Seul ele sofreu cinco operações em ambos os tendões de Aquiles, mas conseguiu se recuperar. Agora estava correndo bem e competindo nas semifinais.

Na metade da pista, porém, o tendão direito de Derek se rompeu. De joelhos no chão, imóvel pela dor, dois assistentes chegaram para auxiliá-lo, e foi ali que Redmond decidiu terminar a corrida, mancando.

Então, de repente, Derek se levantou e começou a mancar, determinado a completar a corrida. Seu pai, que estava sentado no alto da arquibancada, viu seu filho cair e desceu imediatamente até a pista para ajudá-lo. 

Como resultado do prejuízo sofrido, Derek deixou de competir profissionalmente. No entanto, sua história seguirá sendo contada como um exemplo de valentia e superação.

Compartilhe no Facebook

Quanto à autoria das mensagens:
Estas mensagens foram, na sua maioria, enviadas por leitores ou coletadas na internet

 

Facebook