I Parte: Você sabe escolher um parceiro para seus negócios?

     

Você sabia que 70% dos novos negócios quebram no primeiro ano de existência? As pessoas se casam achando que irão viver "felizes para sempre", porém mais de 50% dos casamentos terminam em divórcio. No entanto, os índices de fracasso tanto nos negócios quanto no casamento diminuem em dois terços quando se busca aconselhamento antes do começo do negócio ou das alianças serem trocados. 

Ninguém começa um projeto, seja ele pessoal ou profissional, achando que vai fracassar. Infelizmente, a maioria das pessoas busca um conselheiro ou parceiro quando está passando por dificuldades ou quando possui uma necessidade que não consegue suprir sozinha.

Em qualquer empreendimento importante, você não vai alcançar o sucesso sem parceiros. Gosto da palavra conselheiro para transmitir o conceito de parceria, pois é mais abrangente do que o conceito moderno de parceiro ou sócio. Quando dizemos sócio, geralmente pensamos em questões legais. Um conselheiro, por outro lado, pode ser alguém capaz de nos advertir, orientar, guiar ou ajudar na busca de uma meta específica.

Na próxima semana falaremos de alguns fatores de riscos que devemos estar atentos ao escolher um parceiro, tais como: não confiar naquelas pessoas que muito falam e pouco fazem, menos ainda em mentirosos, fofoqueiros, bajuladores e pessoas incapazes de guardar segredos. Quando encontrarmos essas e outras características em alguém, não devemos aceitar essa pessoa como líder, nem ouvir seus conselhos e muito menos nos associar a ela.  

0
0
0
s2smodern