I Parte: Você sabe escolher um parceiro para seus negócios?
     

Você sabia que 70% dos novos negócios quebram no primeiro ano de existência? As pessoas se casam achando que irão viver "felizes para sempre", porém mais de 50% dos casamentos terminam em divórcio. No entanto, os índices de fracasso tanto nos negócios quanto no casamento diminuem em dois terços quando se busca aconselhamento antes do começo do negócio ou das alianças serem trocados. 

Ninguém começa um projeto, seja ele pessoal ou profissional, achando que vai fracassar. Infelizmente, a maioria das pessoas busca um conselheiro ou parceiro quando está passando por dificuldades ou quando possui uma necessidade que não consegue suprir sozinha.

Em qualquer empreendimento importante, você não vai alcançar o sucesso sem parceiros. Gosto da palavra conselheiro para transmitir o conceito de parceria, pois é mais abrangente do que o conceito moderno de parceiro ou sócio. Quando dizemos sócio, geralmente pensamos em questões legais. Um conselheiro, por outro lado, pode ser alguém capaz de nos advertir, orientar, guiar ou ajudar na busca de uma meta específica.

Na próxima semana falaremos de alguns fatores de riscos que devemos estar atentos ao escolher um parceiro, tais como: não confiar naquelas pessoas que muito falam e pouco fazem, menos ainda em mentirosos, fofoqueiros, bajuladores e pessoas incapazes de guardar segredos. Quando encontrarmos essas e outras características em alguém, não devemos aceitar essa pessoa como líder, nem ouvir seus conselhos e muito menos nos associar a ela.  

0
0
0
s2smodern
II Parte: Você sabe escolher um parceiro para seus negócios?
     

Então, fique atento a alguns fatores de risco quando estiver escolhendo um parceiro:

Integridade: qualquer pessoa que trai seu cônjuge, que emite uma nota fiscal de almoço com o valor maior, só para ganhar uns trocadinhos a mais da empresa, que mente na declaração de imposto de renda é tão desonesta quanto quem rouba uma bol­sa ou um carro. As únicas diferenças são o alvo e o grau da desonestidade. Um homem desonesto com os outros cedo ou tarde será desonesto com você ou com seus clientes. Todo mundo já mentiu ou enganou mais de uma vez na vida. Porém a maioria se arrepende, procura reparar o erro e não repeti-lo. Temos que tomar cuidado com o tipo de pessoa que sempre busca justificativa e inventa desculpas para a própria desonestidade.

 

Raiva: é claro que todo mundo às vezes perde a cabeça. Porém temos que tomar cuidado com pessoas cujo caráter è impregnado pela raiva. Em momento de fúria deixa de lado a razão, a responsabilidade pessoal e os valores morais. Cedo ou tarde, a raiva que sente causará ruína tanto dela quanto de seus parceiros. Procure ser amigável com pessoas assim, mas evite qualquer tipo de relacionamento mais profundo.

 

Regras: você talvez conheça alguém que pensa ou age como se estives­se acima da lei ou que acha que normas e regras servem para os outros e não para ele. Elas são capa­zes de arranjar desculpas e justificar tudo o que fazem. Geral­mente exibem grandes conquistas. Muitas vezes seus currículos e façanhas nos impressionam a ponto de ignorarmos ou perdoar­mos esse traço de sua personalidade. Por mais bem-sucedida que ela seja não entre em nenhum relacionamento ou sociedade com esse ti­po de pessoa.

0
0
0
s2smodern